Alguém mais que especial!!!


Oieeee
Véspera de feriado obaaaaaaaaaaaaaa...rsrsrs...amanhã vou descansar muuuuuuuuuito...
Pensei mil vezes antes de fazer este post, pq é abrir algo mto pessoal, mas resolvi faze-lo, pq um dia, essa pessoinha de quem vou falar hj, vai ler isso aqui, e saberá o qto eu o amo...
Meu irmãozinho, já postei algumas fotos dele aqui...
Esse meu irmãozinho, não é de sangue, mas os laços que temos, vai além disso, é algo mais forte, inquebravél, amor incondicional...
Qdo eu tinha 19 anos, fazia um trabalho na igreja, entregava sopa à moradores de rua, fiz este trabalho por 4 anos, é algo inigualável, mto gratificante. E serviamos em diversos pontos de São Paulo. Sempre fomos orientados a amar aquelas pessoas, mas jamais demonstrar dó, pena, ou se quer chorar na frente deles, pois estávamos ali para dar apoio àquelas pessoas.
Em uma noite de sexta feira, já era 1:00 da manhã, nosso último ponto, nossa última parada...entregamos as sopas, oramos por algumas pessoas, demos água, roupas...e não sei como, um bebê veio parar em meu colo, não sei quem me trouxe, um bebezinho de apenas 1 mês, ele estava mto sujinho, necessitado de uma banho, mas ali naquele lugar, aquela hora, com aquelas condições, onde poderia ser feito isso, foi então que pegamos gases e algodão que tinha em nossos carros, molhávamos e limpávamos aquele bebê, fui procurar a mãe para entrega-lo, que até então, não havia aparecido, e senti alguém cutucando minha perna, era uma garotinha de 7 anos, e me disse: Tia, esse bebê é meu irmãozinho, ele está comigo...e  vcs se perguntarão, e onde estava a mãe??? Dormindo, dentro de um banheiro.
Um sentimento nasceu em mim por aquele bebe, eu o entreguei à mãe, e achei q jamais o veria novamente. Conversei mto com aquela mãe.
Com o passar dos dias o bebezinho, de nome forte ISAQUE, não saia de minha cabeça, cheguei a ficar doente por aquele bebê. Tive que ficar afastada por 1 mês do projeto, pois havia me envolvido demais. Na minha volta, em um dos pontos que paramos, lá estava ele, e não era no mesmo que o encontrei da primeira vez. Sua mãe se aproximou de mim, e disse que eu poderia leva-lo pra casa, mas que o trouxesse na outra semana, que apenas cuidasse dele, pra ela, eu pensei não posso jamais fazer isso, é uma gde responsabilidade. E se eu o levar??? Jamais iria querer traze-lo de volta... e disse à ela que não...e ele em meu colo, qdo menos esperei, a mãe tinha ido, e aquele bebe no meu colo... Tive um misto de sentimentos, alegria, medo, desconfiança, receio...Mas em minha ansia de pré adulta, o levei, chegamos em casa às 2:00 da manhã, já havia ligado pra minha mãe, pra comprar fraldas e leite, pois ele tinha mta fome. Eu, minha mãe e minhas duas irmãs, não nos contínhamos de tanta alegria, todas queriam cuidar, dormir com ele...
Procuramos a mãe dele, e dissemos à ela, que o criaríamos junto com ela, pois sempre há aquele medo, dele crescer e nos acusar de te-lo separado da mãe...e assim foi...ele morou conosco até os 5 anos de idade, mas vendo a mãe toda semana. Aos 5 anos, sentimos que era hora de deixa-lo ir, ele precisava conhecer a familia dele, ele tinha esse direito, a mãe dele já em uma situação um pouco melhor, o matriculou em uma escola, e ele foi...Mas vem passar os finais de semana com a gente desde então.
Foi duro??? Sem dúvidas...e o é até hj!!!
Mas ele ama a mãe dele, e as duas irmãs que moram com ele. Assim como ele nos ama, reconhece minha mãe tb como mãe, pois ele sabe de onde veio, sabe como o conhecemos, sabe toda a sua história.
Dia 10, meu bebezinho completa 10 anos de idade...há 10 anos eu conheci aquele bebe, que despertou um amor em mim incondicional. Hj, ele tá grande, não como deveria ser, com todos os problemas de saúde que ele já teve, não é como todas as crianças de sua idade. É um pouquinho menor, mas hj um menino mto saudável, inteligente, forte, bonzinho, um ótimo coração. Só posso agradecer à Deus por este menino, que foi um presente pra nós.
Tentamos educa-lo da melhor forma possível, mostrando que a vida é o que queremos que ela seja, que ele pode e deve mudar a realidade da familia dele. Ele já se sente o homenzinho da casa, mas não deixando jamais de ser criança, dengoso, carinhoso, brincalhão, super elétrico.
Sempre pedimos à Deus, q ele vá ainda mais longe, em estudos, que qdo for maior tenha um trabalho digno. E que ele faça a diferença!!! Lutamos pra isso todos os dias, tentamos ensiná-lo no caminho que ele deve andar.
E é isso gente, essa é a história do meu bebê, q hj não é mais aquele bebê mirradinho, é um meninão forte...rs
Alguém que amo demais, que é amado por todos nós, que somos capazes de qq coisa para o bem estar dele.
Não escrevi nada disso pra me vangloriar, ao contrário, para dizer q o amor, independe de sangue, classe social, independe de qq coisa...ele apenas existe, amar é servir...
Isaque, a Téta (ele me chama de Téta, pq não conseguia falar Jessica qdo bebe...rs) te amaaaaaaaaaa...Parabéns pelo seu dia!!! q como esse virão muuuuuuuuuuuitos outros, e estaremos sempre juntos!!!




Um dia, ele vai ler isso, vou guardar pra ele...
É isso meninas...
Um ótimo feriado e final de semana...
Bjoooooooooo

5 comentários:

Fernanda disse...

Oi Jé!
Bom dia!!

Que gesto lindo vc fez, me emocionei com a historia do seu irmaozinho, vc agiu com o coração!
Me surpreendi tbm como vcs souberam administrar o desenvolvimento dele entre vcs e a mãe biológica dele, vocês o acolheram mas tiveram o grandioso coração de deixar ele aberto para poder amar as duas familias.
Esse gesto é muito lindo viu!!!

Parabéns pra ele, e que Deus sempre o abençõe e todos que estão em volta dele tbm!

Um super beijo e um ótimo feriado prolongado!

Noivinha Lú disse...

Florzinha, me emocionei muito com teu post, com a história e com o amor que tu sente por ele! Com certeza é um anjo na vida de vcs e muito abençoado pelo sentimento que vcs tem por ele...
Teu post falou alto dentro de mim! Meu noivo é adotado, os pais dele o amam muito, tem o maior orgulho do filho... mas infelizmente o irmão dele não enxerga assim ( e olha que tem 50 anos na cara... nunca o aceitou). Na frente dos pais é o "mano". Nas costas a coisa é bem diferente!
Vcs são pessoas muito iluminadas mesmo, por tamanho desprendimento e dedicação!
Super beijo!

Sra. Mari disse...

que lindo !

parabens !

bjo

Julie disse...

Que lindo Jéssica! Até me emocionei... Deus abençõe, sempre!

bjks

Mary disse...

Oi Jéssica que lindo o seu depoimento de amor.
Que Deus abeçõe vcs sempre,tenho o Heitor de 3 anos e já imaginei ele com esta idade...ontem mesmo eu comentei com o meu esposo,da vontade de ve-lo de terno com esta idade.
Beijos.